O SipamSAR é composto por vários subsistemas: antena, tratamento e visualização, gravação, catálogo, telecomunicações, logístico e complementares. O SipamSAR permitirá que o Censipam passe a adquirir o sinal de satélite, baixando as imagens em tempo real (a cena é baixada na medida em que o radar está varrendo o local), propiciando mais rapidez no alerta.

Neste contexto, o combate ao desmatamento ilegal na Amazônia ganha reforço, pois o Censipam realiza o monitoramento da Amazônia durante o período de alta densidade de nuvens (de outubro a abril) com radar orbital, de forma sistemática.

A tecnologia radar permite observar o desmatamento no início, a partir de uma supressão de 0,5 hectares, com repetitividade de acompanhamento da mudança de 5 a 15 dias, em qualquer clima, durante o dia e a noite.

Os alertas são emitidos para o Ibama montar operações de fiscalização. Após as operações, as imagens estarão disponíveis no acervo do Censipam e do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) para compor os dados do Sistema de Detecção do Desmatamento em Tempo Real na Amazônia (DETER).